Médicos de SP anunciam lista de planos cujo atendimento será suspenso

A Comissão Estadual de Mobilização Médica para a Saúde Suplementar de São Paulo, formada pela APM, Cremesp, Simesp, Academia de Medicina e sociedades de especialidade, prestou novos esclarecimentos sobre o movimento médico durante coletiva de imprensa realizada na sede da Associação Paulista de Medicina (APM), na manhã desta quarta-feira, 10 de agosto. Além de anunciar a suspensão do atendimento às empresas de planos de saúde que se recusaram a negociar com a Comissão, foram divulgadas ainda as datas e o rodízio de paralisação por especialidade.

A partir do dia 1º de setembro os médicos paulistas das especialidades de Ginecologia e Obstetrícia, Otorrinolaringologia, Pediatria, Ortopedia e Traumatologia, Pneumologia e Tisiologia, Cirurgia Plástica e Anestesiologia suspenderão, de forma escalonada, o atendimento das consultas e procedimentos eletivos realizados por intermédio dos seguintes planos: Ameplan, Assefaz, Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Cetesb, Green Line, Intermédica, Mediservice, Notredame, Prosaúde, Porto Seguro, Vale e Volkswagen.

Estas empresas foram selecionadas porque não enviaram resposta à solicitação de negociação encaminhada pela Comissão de Mobilização ou porque o que ofertaram estava muito aquém das reivindicações dos médicos.

A pauta do movimento médico de São Paulo luta por consulta a R$ 80,00 e procedimentos atualizados de acordo com a Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), critérios claros de credenciamento e descredenciamento, regularização dos contratos entre médicos e empresas com a inserção de índice de reajuste anual e fim das interferências sobre a autonomia do médico.

A suspensão dos atendimentos será feita por meio de rodízio. A cada semana, durante todo o mês de setembro, uma especialidade médica deixará de atender. Do dia 1º a 3 de setembro, estão suspensas as consultas e os procedimentos eletivos na área de ginecologia e obstetrícia; dentre os dias 8 e 10, estão suspensos os que envolvem a otorrinolaringologia; entre os dias 14 e 16, os de pediatria; nos dias 19 e 20, ficam suspensos os atendimentos de ortopedia e traumatologia; entre 21 e 23 de setembro, é a vez da pneumologia e tisiologia; e entre os dias 28 e 30 de setembro, a suspensão é da cirurgia plástica. Os médicos anestesiologistas acompanharão as outras especialidades e suspenderão o atendimento durante todos os períodos.

O atendimento das urgências e emergências funcionará normalmente.

“Diferentemente da mobilização do dia 7 de abril, que foi de alerta à sociedade e às empresas sobre a complicada situação que o médico vive ao atender a saúde suplementar, agora estamos suspendendo e divulgando quais são os planos que não querem negociar e não respeitam o trabalho médico nem os pacientes”, disse Florisval Meinão, 1º tesoureiro da AMB e coordenador da Comissão Nacional de Consolidação e Defesa da CBHPM.

“A situação chegou em um ponto que não há mais o que fazer a não ser radicalizar. A situação é muito grave porque já há desassistência da população. É preciso que haja respeito e valorização do trabalho médico”, explicou Jorge Machado Curi, presidente da APM.

Fonte: AMB, 12/08/2011.

 
CBO TV
FeCOOESO 2006
Praia do Flamengo, 66 - Bloco B/sala 303 - Rio de Janeiro, RJ - CEP: 22210-030 - Tel./Fax (21) 2556-5803