Consulta à população Vote em prol da SAÚDE OCULAR. Vote NÃO!

 
Rio de Janeiro, 05 de agosto de 2011.

Prezados,

A classe dos optometristas, interessada na regulamentação de sua profissão, tem adotado estratégias junto ao Congresso Nacional para viabilizar a aprovação de leis que lhes permitam realizar exames que, até o presente momento, são da exclusiva responsabilidade dos médicos oftalmologistas.

Por conta dessa movimentação, o Deputado Federal Marçal Filho (PMDB-MS) está realizando uma consulta à população visando apurar o sentimento da população sobre a atividade dos optometristas. Como as partes interessadas devem se manifestar diante de seus representantes legislativos, os oftalmologistas, que conhecem os riscos de um exame de olho superficial ou realizado sem a técnica e arte da ciência médica, devem procurar sensibilizar seus pacientes, familiares e amigos para que também participem da enquete em curso. A falta de mobilização pode acabar por viabilizar a regulamentação de uma nova profissão em termos que talvez não reflita o melhor interesse da população em relação à sua saúde ocular.


Por isso, a FECOOESO, em sua atuação em prol da população, urge a todos os oftalmologistas e seus amigos e conhecidos que não omitam sua participação, acessando o site
http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/TRABALHO-E-PREVIDENCIA/200350-PROFISSAO-DE-OPTOMETRISTA-PODE-SER-REGULAMENTADA.html , e expressando sua opinião sobre o tema que é de extrema relevância.

Atenciosamente,

Nelson Louzada
Presidente da FeCOOESO
http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/TRABALHO-E-PREVIDENCIA/200350-PROFISSAO-DE-OPTOMETRISTA-PODE-SER-REGULAMENTADA.html

Temos, hoje, no Brasil mais de 12.000 oftalmologistas habilitados, capacitados a atender toda a população brasileira.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) preconiza 1 oftalmologista para 20.000 habitantes. A nossa relação é de aproximadamente 1/15.833 habitantes, consoante com a OMS.

A OFTALMOLOGIA BRASILEIRA é reconhecida, mundialmente, como uma das mais avançadas.

O Optometrista surgiu em alguns países devido a precariedade do atendimento, pela falta de especialistas.

O Optometrista atua nas duas pontas; receita e executa a própria receita, praticando a VENDA CASADA, onde não cobra pela consulta, embutindo o preço na confecção dos óculos e/ou das lentes de contato, o que é proibido pelas leis brasileiras.

Em muitas cidades brasileiras não existem médicos, assim como, não existem farmácias, óticas e sequer existirão optometristas. O governo precisa fixar médicos no interior, dando condições de trabalho digno. Não pode adotar a filosofia de MEDICINA POBRE PARA OS POBRES!

O que está em jogo é a SAÚDE OCULAR do brasileiro! Diagnósticos importantes, como glaucoma, retinopatia diabética ou hipertensiva, catarata, descolamento de retina, degeneração macular... não serão feitos em tempo hábil, levando muitos pacientes à cegueira irreversível.

Dr. Nelson Louzada

____________________________________________________________

Profissão de optometrista pode ser regulamentada

Leonardo Prado

Marçal Filho
Marçal Filho: não há conflito entre optometria e oftalmologia.

A Câmara a analisa o Projeto de Lei 369/11, do deputado Marçal Filho (PMDB-MS), que regulamenta a profissão de optometrista. São considerados habilitados ao exercício profissional os portadores de diploma de conclusão de curso superior em Optometria, expedido por escolas reconhecidas pela autoridade competente da educação, ou por escola estrangeira, desde que tenham revalidado e registrado seu diploma no Brasil.

O projeto define como atividades do optometrista:

- examinar e avaliar a função visual, prescrevendo soluções ópticas nos casos de ametropias;
- orientar técnica e esteticamente o usuário de óculos e lentes de contato; e
- adaptar os óculos e as lentes de contato às necessidades do usuário.

Atendimento primário

Os optometristas são os profissionais responsáveis pelo atendimento primário da função visual. Atuam diretamente na prevenção de problemas oculares e na correção de disfunções visuais.

Representam a primeira linha de atendimento dos problemas mais comuns da população e fazem a triagem dos casos mais complexos ou graves, remetendo-os aos oftalmologistas.

No Brasil, universidades como a Estácio de Sá, no Rio de Janeiro, e a Ulbra, no Rio Grande do Sul, já oferecem formação em Optometria.

O profissional optometrista não utiliza nenhum medicamento ou técnica invasiva ao corpo humano. Todos os equipamentos são de caráter observacional e direcionados à avaliação quantitativa e qualitativa da visão.

Ele é preparado para reconhecer uma alteração visual de ordem patológica ocular ou sistêmica, encaminhando, nestes casos, a um profissional da área médica, realizando assim seu trabalho de prevenção.

Competências

Marçal Filho diz que não têm fundamento as alegações de que a optometria usurpa as competências da medicina oftalmológica. “Se assim fosse, a optometria não seria permitida na imensa maioria dos países. O optometrista trabalha em harmonia com outros profissionais de saúde, sendo um dos elos fundamentais na equipe multidisciplinar e multiprofissional, em benefício da saúde da população”, afirma.

Ele lamenta que a consulta com oftalmologista no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) seja hoje muito difícil. “O SUS e a população brasileira precisam da optometria, que poderia, por exemplo, tornar realidade o atendimento primário qualificado da grande massa de alunos da educação básica, identificando problemas visuais e fazendo a triagem dos casos patológicos que necessitem de atendimento especializado”, propõe.

Marçal Filho cita ainda que a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece o optometrista como o responsável principal pelo atendimento primário da saúde visual.

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Seguridade Social e Família; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.


Íntegra da proposta:


PL-369/2011
Reportagem - Luiz Claudio Pinheiro
Edição - Wilson Silveira

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'

 
CBO TV
FeCOOESO 2006
Praia do Flamengo, 66 - Bloco B/sala 303 - Rio de Janeiro, RJ - CEP: 22210-030 - Tel./Fax (21) 2556-5803